Surfcupe

NOTÍCIA

Voltar 10/04/2018

Italo estreia de lycra amarela no CT de Margaret River.

clique para ampliar

O potiguar vai defender a liderança do ranking e Miguel Pupo reforça a "seleção brasileira" que terá doze surfistas entre os 36 concorrentes ao título do Margaret River Pro na Austrália

 

O potiguar Italo Ferreira vai competir pela primeira vez com a lycra amarela do Jeep Leaderboard na terceira e última etapa da “perna australiana” do World Surf League Championship Tour. O prazo do Margaret River Pro começa nesta quarta-feira e vai até o dia 22 na costa ocidental da Austrália. Será a última parada antes do Oi Rio Pro, a etapa brasileira que vai receber os melhores surfistas do mundo nos dias 11 a 20 de maio na Praia de Itaúna, em Saquarema, Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Italo badalou o sino do troféu do Rip Curl Pro Bells Beach e o Brasil ainda terá um reforço em M-River, Miguel Pupo, substituindo o contundido Kelly Slater.

 

“Tudo isso parece um sonho”, disse Italo Ferreira, durante a coletiva de imprensa do Margaret River Pro. “Vestir a lycra amarela do Jeep Leader é a melhor sensação do mundo. O título mundial é o meu objetivo, mas sei que isso ainda está longe e que é muito difícil se manter no topo do ranking. Estou apenas me concentrando em ficar relaxado e aproveitar ao máximo cada momento que estou vivendo”.

 

A primeira atuação de Italo Ferreira com a lycra amarela de número 1 do mundo será na décima bateria, a quarta com participação dupla no Margaret River Pro com doze brasileiros na primeira fase. Um dos cinco novatos entre os onze titulares da “seleção brasileira” no CT 2018, o cearense Michael Rodrigues, vai competir junto com o potiguar no confronto completado pelo campeão desta etapa em 2016, o havaiano Sebastian Zietz. A decisão foi contra o australiano Julian Wilson, com quem Italo está empatado na liderança do ranking.

 

O Brasil também já tem vitória nas ondas com power havaiano de Margaret River em 2015, com Adriano de Souza batendo John John Florence na final daquele ano que conquistou seu título mundial. Mineirinho também vai começar junto com outro brasileiro na oitava bateria, o grande amigo e filho do seu técnico, Yago Dora, além do japonês Kanoa Igarashi. A estreia do Brasil em Margaret River já será em dose dupla logo nas primeiras baterias que só os vencedores avançam direto para a terceira fase, sem passar pela repescagem.

 

Na segunda, o catarinense Tomas Hermes e o pernambucano Ian Gouveia enfrentam o sul-africano Jordy Smith. E na seguinte, será o australiano Owen Wright contra dois paulistas, Caio Ibelli e Miguel Pupo, que deve substituir o contundido Kelly Slater a partir desta etapa. O Brasil já tem o maior número de surfistas entre os top-34 da Liga Mundial de Surfe, agora serão doze concorrentes ao título do Margaret River Pro, um terço dos participantes em uma etapa no país que sempre teve maioria na divisão de elite do esporte das ondas.

 

Miguel Pupo fez parte deste grupo até o ano passado e era o terceiro na lista de alternates para o CT 2018, mas passou a ser o primeiro. Isso porque Mick Fanning se aposentou e o sul-africano Michael February herdou sua vaga, enquanto o segundo, Bede Durbidge, é outro australiano que também encerrou sua carreira no Circuito Mundial. No momento, Pupo está recuperando seu lugar na elite entre os dez que se classificam pelo WSL Qualifying Series.

 

Os outros quatro integrantes da “seleção brasileira” estão sozinhos com dois surfistas de outros países. O campeão mundial Gabriel Medina é o cabeça de chave da quinta bateria, completada pelo francês Joan Duru e um dos convidados do Margaret River Pro, Kael Walsh. O outro é o também australiano Dave Delroy-Carr, que entra no confronto seguinte com o paulista Jessé Mendes e um dos líderes do ranking, Julian Wilson.

 

Na sétima bateria, está Filipe Toledo com o americano Conner Coffin e o sul-africano Michael February. E na nona, Willian Cardoso enfrenta dois semifinalistas da primeira etapa na Gold Coast, o australiano Adrian Buchan e o californiano Griffin Colapinto. Nesta rodada inicial, a vitória vale passagem direta para a terceira fase, mas os perdedores têm uma segunda chance de classificação nos duelos eliminatórios da repescagem.

 

CT FEMININO – Caso o Margaret River Pro comece pela competição masculina, o Brasil vai estrear na segunda bateria, mas se for iniciado pelas meninas já será na primeira do dia. A cearense Silvana Lima foi escalada para disputar a primeira vaga direta para a rodada classificatória para as quartas de final com a australiana Sally Fitzgibbons e a havaiana Coco Ho. A brasileira vem de um excelente resultado no Rip Curl Pro Bells Beach, onde só perdeu nas semifinais e está na briga pela lycra amarela do Jeep Leaderboard em Margaret River.

 

Acompanhe a transmissão ao vivo do Margaret River Pro pelo www.worldsurfleague.com ou pelo Facebook Live e pelo aplicativo da World Surf League.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE - A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

 

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

 

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensesn, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

 

 

PRIMEIRA FASE DO MARGARET RIVER PRO – Vitória=Terceira Fase / 2.o e 3.o=Segunda Fase:

 

1.a: Matt Wilkinson (AUS), Connor O´Leary (AUS), Keanu Asing (HAV)

2.a: Jordy Smith (AFR), Tomas Hermes (BRA)Ian Gouveia (BRA)

3.a: Owen Wright (AUS), Caio Ibelli (BRA)Miguel Pupo (BRA)

4.a: John John Florence (HAV), Wade Carmichael (AUS), Mikey Wright (AUS)

5.a: Gabriel Medina (BRA), Joan Duru (FRA), Kael Walsh (AUS)

6.a: Julian Wilson (AUS), Jessé Mendes (BRA), Dave Delroy-Carr (AUS)

7.a: Filipe Toledo (BRA), Conner Coffin (EUA), Michael February (AFR)

8.a: Adriano de Souza (BRA), Kanoa Igarashi (EUA), Yago Dora (BRA)

9.a: Adrian Buchan (AUS), Griffin Colapinto (EUA), Willian Cardoso (BRA)

10: Italo Ferreira (BRA), Sebastian Zietz (HAV), Michael Rodrigues (BRA)

11: Kolohe Andino (EUA), Frederico Morais (PRT), Ezekiel Lau (HAV)

12: Joel Parkinson (AUS), Michel Bourez (TAH), Patrick Gudauskas (EUA)

 

PRIMEIRA FASE DO MARGARET RIVER PRO – Vitória=Terceira Fase / 2.a e 3.a=Segunda Fase:

 

1.a: Sally Fitzgibbons (AUS), Silvana Lima (BRA), Coco Ho (HAV)

2.a: Carissa Moore (HAV), Sage Erickson (EUA), Bronte Macaulay (AUS)

3.a: Stephanie Gilmore (AUS), Keely Andrew (AUS), Mikaela Greene (AUS)

4.a: Lakey Peterson (EUA), Caroline Marks (EUA), Paige Hareb (NZL)

5.a: Tyler Wright (AUS), Tatiana Weston-Webb (HAV), Macy Callaghan (AUS)

6.a: Johanne Defay (FRA), Nikki Van Dijk (AUS), Malia Manuel (HAV)

 

TOP-22 DO JEEP LEADERBOARD – RANKING WSL 2018 – após a 2.a etapa:

 

01: Julian Wilson (AUS) – 11.665 pontos

01: Italo Ferreira (BRA) – 11.665 pontos

03: Mick Fanning (AUS) – 11.500

04: Owen Wright (AUS) – 9.490

04: Michel Bourez (TAH) – 9.490

06: Adrian Buchan (AUS) – 9.465

07: Gabriel Medina (BRA) – 7.750

07: Griffin Colapinto (EUA) – 7.750

09: Tomas Hermes (BRA) – 6.505

09: Patrick Gudauskas (EUA) – 6.505

11: Filipe Toledo (BRA) – 6.410

11: Frederico Morais (PRT) – 6.410

13: Adriano de Souza (BRA) – 5.365

13: Jeremy Flores (FRA) – 5.365

13: Conner Coffin (EUA) – 5.365

13: Wade Carmichael (AUS) – 5.365

17: Ezekiel Lau (HAV) – 5.165

17: Michael Rodrigues (BRA) – 5.165

19: Matt Wilkinson (AUS) – 4.120

19: Kanoa Igarashi (EUA) – 4.120

21: Mikey Wright (AUS) – 3.700

22: Jordy Smith (AFR) – 3.330

22: Kolohe Andino (EUA) – 3.330

22: Joel Parkinson (AUS) – 3.330

22: Willian Cardoso (BRA) – 3.330

 

--------outros brasileiros:

 

26: Jessé Mendes (BRA) – 2.085 pontos

31: Caio Ibelli (BRA) – 840

31: Ian Gouveia (BRA) – 840

31: Yago Dora (BRA) – 840

 

TOP-10 DO JEEP LEADERBOARD – RANKING WSL 2018 – 2 etapas:

 

01: Stephanie Gilmore (AUS) – 14.745 pontos

02: Lakey Peterson (EUA) – 13.085

03: Caroline Marks (EUA) – 10.830

04: Carissa Moore (HAV) – 9.490

05: Tatiana Weston-Webb (HAV) – 9.190

05: Keely Andrew (AUS) – 9.190

07: Silvana Lima (BRA) – 9.170

08: Tyler Wright (AUS) – 7.830

08: Johanne Defay (FRA) – 7.830

10: Sally Fitzgibbons (AUS) – 7.475

10: Malia Manuel (HAV) – 7.475

 

 

Fotos da coletiva de imprensa na terça-feira: https://wdrv.it/0020d7ca7   

Videos Newsfeeds para TV: https://wdrv.it/132178e6e  

Por: WSL South America - João Carvalho.